domingo, 28 de maio de 2017

Doce Sacrifício - Capítulo 39 [Don't Go Away]

Música tema: Don't Go Away [Oasis]

Cold and frosty morning, there's not a lot to say
About the things caught in my mind
And as the day was dawning my plane flew away
With all the things caught in my mind”

Era sexta-feira, o dia seguinte a carta, e Jessica teve a pior noite da sua vida. Não se lembrava da vez que dormira tão pouco. Era adorava dormir, era o seu hobby preferido, por isso seu humor não estava dos melhores naquele dia. Também não fora para a escola, sabia que seria perda de tempo, que não prestaria atenção nas aulas.
Passara a madrugada tentando encontrar motivos razoáveis para a nova descoberta: Joshua trabalhando para/com G. Não conseguira pensar em um sequer, e por mais que quisesse desistir da tarefa, seu cérebro parecia empenhado em tentar, pois não conseguia esquecer do assunto.
Tentando ocupar sua mente com outras coisas pela manhã, resolveu se distrair aprendendo a tocar algumas músicas do Oasis no seu violão, só porque estava usando uma camiseta da banda mesmo, nenhuma razão em especial. Decidiu que o faria em ordem alfabética. Estava em D'you know what I mean quando lembrou que Alison não sabia da novidade. Largou o violão na cama e tirou fotos da carta com o celular, mandando para Ali em seguida, provavelmente arruinando o seu horário de almoço.
Era um pouco depois das 15h quando Matthew apareceu. Marta deve te-lo deixado entrar, ela nem tinha percebido a campainha tocando. A porta do seu quarto estava semi-aberta, então ele simplesmente foi entrando. Pela sua cara, não estava de bom humor e Jess achou melhor nem repreender. Ele era um pouco difícil de lidar quando estava nervoso.
- Não é possível. Ela não faria isso!
Jess precisou de um tempo para entender do que ele estava falando, mas o papel em cima de sua escrivaninha lhe deu uma dica. Estava falando de Emily. Alison deve ter falado pra ele. Ainda bem, já que não sabia se ela conseguiria fazê-lo.
- Era verdade sobre Joshua, por que seria mentira sobre Emily?
- Porque é a Emily!
- Que argumentação Matthew! Já pensou em ser advogado?
- Eu to falando sério, Jessica! Cadê a carta?
Ela aponta para a escrivaninha, perto da janela, e volta a sua atenção para seu livro enquanto ele a lia. Teve que dar um tempo do seu violão, as pontas dos dedos já estavam doendo, mais um pouco e iam começar a sangrar.
- Por que ela faria isso? Não faz sentido!
- Eu não sei, Matt! Pergunta pra ela!
Perguntar pra ela? Tudo bem. Era exatamente isso o que ele iria fazer. Com isso em mente, ele soca aquela maldita carta no bolso do casaco e vai em direção à porta.
- Matt! - Jess tenta chamá-lo, mas ele estava em uma missão e não pararia por nada nem ninguém.

-x-

And I wanna be there when you're coming down
And I wanna be there when you hit the ground”

Matthew chega à casa de Emily e toca a campainha, impaciente. Ele estava andando de uma lado pro outro na varanda quando Emi abriu a porta. Ele gostaria de passar por ela derrubando o que estivesse na sua frente, para fazer uma entrada mais dramática, mas como a única coisa na sua frente era ela, ele teve que entrar na casa com um pouco mais de calma, visto o seu estado de muito grávida. Salva pela barriga, Emily!
- Matt? Está tudo bem?
Ele devia estar com uma cara terrível, porque ela o estava olhando toda preocupada. Até onde essa preocupação era genuína ele já não saberia mais dizer. A garota ainda estava esperando uma resposta, então ele lhe estende o pedaço de papel um pouco amassado que trazia consigo. Ela o pega, desconfiada, e conforme ia lendo, seu rosto ia perdendo a cor.­
- É verdade? - ela ainda estava encarando o papel, sem piscar e branca feito folha sulfite, não parecia que iria lhe responder, e como ele já não estava em um estado muito paciente, ele arranca a folha de suas mãos, chamando a sua atenção. - Emily!
- Onde você conseguiu isso?
- É verdade?
- Eu...
- Só me diz sim ou não, Emily. É verdade?
Ela ergue a cabeça e o olha diretamente nos olhos pela primeira vez. Matthew conseguia ver um pouco de dor neles, mas foi incapaz de encontrar uma gota sequer de arrependimento. Essa constatação foi pior do que um chute nas bolas.
- Sim.
- Por quê?
- É complicado...
- Você só pode estar de brincadeira! - ele amassa a carta em sua mão e a joga na parede atrás de Emily. - Mas que porra, Emily!
- Não grita comigo, Matthew! Quem você pensa que é?
- Um idiota que não percebeu a traidora que você era.
- Matt...
- Nem começa, Emily! Eu não quero ouvir as suas desculpas. - quais eram mesmo os sinais de um derrame? Porque Matthew tinha certeza que estava prestes a ter um. - Preciso de ar.
Ele sai da casa, fechando a porta com mais força do que seria preciso para o ato, fazendo um dos quadros pendurado ali perto chacoalhar. Emily pega a bola de papel do chão e a desamassa. Ela não entendia como aquilo poderia ter acontecido, não fazia sentido G expor ela e Joshua agora. O que ela ganhava com isso?

-x-

So don't go away/ Say what you say/ Say that you'll stay
Forever and a day/ In the time of my life/ 'cause I need more time
Yes, I need more time/ Just to make things right”

Alison e Jessica estavam na arquibancada da quadra, enquanto a maioria da turma estava lá embaixo jogando. Eles estavam com aquele horário livre, o que em qualquer outro momento seria muito bem-vindo, mas agora, sem ter um professor ao qual elas precisam se esforçar para prestar atenção, suas mentes estavam livres para pensar nos últimos acontecimentos. E Jessica pensou bastante sobre eles, o suficiente para ter um plano infalível à la Cebolinha.
- Eu preciso que você me faça um favor.
- O que?
- Eu preciso que você convide uma pessoa pro baile.
Não precisava elaborar mais para Alison entender o que Jess estava planejando. E Alison não gostou nada da ideia, por isso decidiu se fazer de desentendida. Ela nunca foi muito boa em encarar o que não gostava.
- Quem?
- Cabelos negros, olhos claros, branco que nem leite, canta e toca guitarra muito bem...
- Você quer que eu convide o Billie Joe pro baile da escola?
- Alison!
- Tá, eu convido o Logan. Mas você vai ficar me devendo uma muito, muito grande!

-x-

Damn my situation and the games I have to play
With all the things caught in my mind
Damn my education, I can't find the words to say
About all the things caught in my mind”

Nicole e Michelle estavam se arrumando para o baile no quarto da morena, Cassandra estava lá também, ajudando-as. No baile de Valentine's Day do ano anterior teve uma pequena mudança nas regras, em que dessa vez as garotas é que ficariam encarregadas de convidar os rapazes. A troca de papéis foi bem recebida pelos alunos e resolveram que esse ano seria da mesma forma.
Tirar o peso da espera das meninas e colocá-lo nos rapazes foi até engraçado. Quem diria que eles se importavam com esse tipo de coisa?!
- Garotos são estranhos. Adoram dizer que essa coisa de baile é fútil, sem graça, que não lhes importa e blábláblá, mas eles estavam praticamente lambendo os nossos pés para serem convidados. Muito bizarro. - Nicole não estava esperando por isso, mas tinha mais tenção naquela escola do que em época de campeonato, porque agora todos os garotos estavam apreensivos, desesperados para serem convidados.
- Mas muito divertido também. - Michelle conseguiu dar várias risadas com a cara de alívio que os rapazes faziam quando uma garota os convidava. Eles tentavam manter uma cara de tanto faz, bancar o “sou legal demais para me importar com um baile da escola”, mas as meninas sabiam como era difícil essa época de espera, elas conseguiam perceber os sinais neles também.
- É ótimo estar no controle da situação pra variar.
- Se você estava planejando ir com um garoto, com certeza. - Cassandra deixa escapar. A ideia foi ótima, mas ainda não era tão igualitária, visto que elas tinham que convidar meninos, caso contrário, lá vinha o julgamento. Não que ela estivesse planejando ir com uma garota. Mesmo que um nome lhe viesse à mente. Mas isso era ridículo.
Aquela pequena observação foi mais do que uma deixa para as suas duas amigas entrarem no bendito assunto com Cassie. Elas já desconfiavam, ouviram certas histórias, mas nunca encontraram o momento certo para perguntar.
- Você sabe como aquela escola fala, nós ouvimos alguns boatos, mas nunca encontramos o momento certo pra perguntar, até porque não é bem da nossa conta...
Michelle estava enrolando demais e Nicole era muito direta ao ponto, não aguentava enrolações.
- Você é bissexual?
Michie não podia acreditar na morena. Como ela jogava a pergunta assim? Cassie não se importou, no entanto, conhecia a amiga que tinha. Também não podia dizer que estava surpresa pela pergunta, sabia que já estavam falando por aí, ela nunca foi muito discreta. Estava impressionada mesmo por elas terem demorado tanto para perguntar. Não que isso tirasse a sua apreensão pelas suas reações.
- Sim. Tem problema pra vocês?
- É claro que não tem problema. Estamos no século 21, pelo amor de Deus! - Michelle não podia acreditar que a loira estava perguntando se havia algum problema em quem ela era! Cassandra Prescott apreensiva com o que iriam pensar dela. Quem diria!
- Exato. Se você quer ir com uma garota, então vá. É super normal. É claro que vai causar uma comoção enorme, mas precisamos começar de algum lugar, não é? - Nicole super apoiaria. Iria ser uma revolução e tanto.
- Em outro momento eu até concordaria, mas eu não estou muito afim de resistir agora.
- Você quem sabe. Mas diz aí, quem é a garota? - Nicole passa mentalmente todas as garotas que poderiam ser possíveis interesses de Cassie, mas a morena não consegue pensar em ninguém em específico. Quem poderia ser?
- Perdão?
- Você poderia convidar um garoto se quisesse, mas você está determinada a não ir. Porque tem uma garota. Quem é? - Michelle também estava se mordendo para saber. Cassandra não era muito de ter crushes, quando isso acontecia, era todo um evento para as suas amigas.
- Ninguém. Tem garota nenhuma.
Contar sobre sua orientação sexual para as suas amigas tudo bem, mas admitir que gostava de Ashley Stone já era demais. As duas nunca se deram muito bem no passado, estar gostando dela era muito mais do que uma grande ironia, era uma puta sacanagem cósmica.
- Nós a conhecemos? - Nicole nunca se deu muito bem com a curiosidade. Precisava tentar só mais uma vez.
- Nicole!
- Ok, vamos mudar de assunto. - mas a morena não ia deixar isso de lado por muito tempo, tinha certeza.

-x-

And I wanna be there when you're coming down
And I wanna be there when you hit the ground”

Vanessa estava jogada no sofá, passando pelos canais de tv, tédio puro expresso em seu rosto. Não costumava fazer muita coisa aos sábados à noite, geralmente ficava em casa, da mesma forma que estava agora. Porém, saber que algo estava acontecendo em sua escola naquele momento e ela não estar lá, fez a sua rotina de final de semana parecer muito entediante.
Ashley também tinha ficado em casa, pronta para fazer uma maratona de sua série preferida enquanto se entupia daquela torta de chocolate super calórica que ajudara a sua mãe fazer mais cedo. Estava indo até a cozinha pegar um belo de um pedaço daquela bomba de diabetes, é quando passa pela sala e encontra sua irmã gêmea ali, deitada no sofá, brincando de jogar o controle remoto pra cima, um filme meio antigo passando na televisão, ao qual ela não parecia estar prestando a menor atenção.
- Hey, senhorita Rainha da Diversão, ainda dá tempo de colocar o seu vestido encantado e ir ao baile.
- Sem um Prince Charming eu seria o Lumière das minhas amigas. Prefiro morrer de tédio em casa mesmo.
- Por que não convidou alguém?
- Não estava a fim. E você?
Ash analisa por um momento se contava a verdade para sua irmã ou não, mas ela logo chega à conclusão de que não estava pronta para admitir nada daquilo ainda. Muito dessa verdade, como o seu possível interesse em Cassandra Prescott, por exemplo, ela não tinha nem admitido a si mesma.
- Mesmo caso.

-x-

So don't go away/ Say what you say/ Say that you'll stay
Forever and a day/ In the time of my life/ 'cause I need more time
Yes, I need more time/ Just to make things right”

Alison nunca foi muito fã de bailes. Ter que usar vestido, salto alto, o penteado, a dança, a música, o ambiente em si. Era demais para ela. Podia contar nos dedos de uma mão quantas vezes se submeteu à essa tortura. Hoje era mais uma dessas vezes.
A loira não conseguia acreditar que tinha concordado com aquilo. Comprou os convites, convidou Logan, fez todo o ritual pré-baile, mas sempre com aquela pequena chama de esperança que Jessica olhasse para ela e dissesse: “pensando bem, esse plano não vai funcionar. Vamos pensar em outra coisa”. Porém, ela nunca o fez, então ali estava Alison Fitzgerald, em frente ao ginásio de seu colégio, com Logan Miller ao seu lado. Logan. Miller. Pois é.
Ela achou que ele sacaria tudo de cara e rejeitaria o seu pedido de ir com ela ao baile (no Valentine's Day, só para deixar bem claro em que situação ela tinha se metido), mas para a sua surpresa, ele aceitou, como se toda aquela história de Joshua e G nem existisse. Ele não podia ser tão ingênuo assim... Podia?
Ou talvez ele soubesse, talvez ele tenha notado que o seu pedido era muito suspeito, e ele ter aceitado mesmo assim só podia significar uma de duas coisas: ou ele já tinha um plano caso ela tentasse lhe tirar alguma informação ou... Ou ele realmente não se importava com o motivo dos dois estarem ali. Essa opção levava para um caminho muito perigoso que Alison não estava a fim de refletir sobre. Nunca.
Ao adentrarem o ginásio, a loira percebeu o quão lotado estava. Ela não sabia que tantos alunos gostavam daquele tipo de coisa. Praticamente a sua turma toda estava ali. Apesar do local cheio, ela conseguiu encontrar vários de seus colegas. Nick com a insuportável da Alexandra na pista de dança; o casal vinte, Jeremy e Madison, se servindo do ponche; David e Nicole nas arquibancadas, observando o pessoal dançando. Alison tinha tentando falar com o garoto no dia anterior, mas ele fugiu dela como o diabo foge da cruz. Parece que alguém ali não tinha superado... Não que ela e Jessica tivessem superado o envolvimento de Joshua, visto que ela estar ali com Logan era apenas uma tentativa para ver se descobriam mais alguma coisa, qualquer coisa. O problema é que Alison não pensou que seria tão difícil fazer Logan abrir a boca, pelo menos para algo que prestasse.
Ela estava tentando ser legal, sério. Afinal, era muito mais fácil alguém deixar algo escapar durante uma conversa do que durante uma briga. Mas aturar Logan não era exatamente uma de suas habilidades, principalmente porque ela estava muito focada em sua missão e ele muito focado em só fazer piadinhas sem graça, que por sinal eram a sua marca registrada, em especial quando vinham na forma de alguma cantada fajuta. Alison não tinha tempo para isso.
Os dois estavam se servindo de mais um copo do ponche, aquele tipo de ponche que é claramente ruim, mas mesmo assim você não consegue parar de tomar, quando Don't Go Away começou a tocar.
- Hey, essa é uma música legal, você quer dançar?
- Com você?
- Qual é, não foi por isso que você me convidou?
- Nós dois sabemos porque eu te convidei.
- Por que você percebeu que não pode viver sem mim?
Ela o encara por um momento e percebe que teria que desistir de tentar fazer ele falar assim meio que por acidente, como se ela nem quisesse saber, como era o plano original, e que teria que contar a verdade pra ele. Logan podia ser tudo, menos idiota, ela podia ver em seus olhos que ele sabia de suas intenções e estava só esperando pra ver até onde ela chegaria. Talvez ele apreciasse a sua honestidade e contasse tudo de uma vez. Afinal, a esperança é a última que morre...
- Por causa do Joshua.
- O que tem o Joshua?
- Logan!
- Alison! - ele a imita, só de brincadeira, mas ela percebeu que o moreno ficou um pouco incomodado com o rumo da conversa.
- Você sabia? - ele começa a enrolar, olhando para o pessoal no ginásio, como se nem a tivesse escutado, então ela o puxa mais pra perto pelo braço. Talvez ela tenha sido um pouco rudo, mas ela não desistiria assim tão fácil. - Você está nisso também?
Ele deve ter percebido o seu comprometimento com aquele assunto, porque quem parecia ter jogado a toalha era ele. Alison preferiu não pensar muito no porque de ele sempre lhe dar o que ela queria.
- Não.
- Pra qual pergunta?
Logan suspira, claramente desistindo de inventar desculpas. Se fosse por ele, Alison e Jessica já estariam sabendo sobre tudo há muito tempo. Ele não concordava com o que elas fizeram no passado, lógico, mas era igualmente contra o que estava acontecendo agora. Ter deixado Joshua entrar sozinho na toca do leão foi uma péssima escolha. E verdade seja dita, o que ele mais odiava em toda essa situação era o grande alvo nas costas de Ali. Tinha esperança de que se Joshua desistisse, tudo isso acabaria.
- A segunda.
- Então você sabia.
- Sim, mas eu nunca concordei totalmente.
- E por que não o impediu? Você tem noção das coisas que ele fez?
- Sim. Mas vocês não. Bem longe disso...
- O que você quer dizer?
- Hei! Um pouco de mistério faz parte do meu charme.
E lá estava o Logan que ela conhecia novamente. Sabia que ele estava cooperando demais. Era bem a cara dele mesmo, no momento em que estavam começando a chegar à algum lugar, ele desconversava. Alison sabia que depois daqui ele não falaria mais nada.
- Você é impossível!
- Você fala como se isso fosse uma coisa ruim.

-x-

Me and you, what's going on?
All we seem to know is how to show
The feelings that are wrong”

Jessica estava em seu quarto, sentada em sua cama, tocando o seu violão, quando Matthew chegou. Ele estava um pouco agitado, claramente passando por uma espécie de dilema interno que não estava lhe fazendo bem. O fato é que Emily estava tentando se comunicar com ele fazia dias e ele estava começando a pensar em ceder. Mas ele não queria ceder. Se tinha uma coisa que ele não deixaria que Emily quebrasse era o seu orgulho.
Por isso, estava precisando de uma distração do fato de Emily estar ligando para ele naquele momento, e não podia confiar em si mesmo sozinho em sua casa, onde ele já tinha esgotado todas as opções de distrações possíveis. Então ele decidiu que iria até a casa de Jess, se refugiaria ali e a faria prometer que não deixaria ele nem sequer mencionar o nome de Emily enquanto estivesse naquele estado.
Ela estava tocando Don't Go Away e ele só fica ali escutando. Ele sabia do seu novo hobby: aprender a tocar todas as músicas do Oasis, em ordem alfabética, mas achou que ela teria feito mais progresso do que isso àquela altura.
- Ainda está na letra D?
- Não. Mas essa música não sai da minha cabeça. É como o ditado diz: se não pode com ela, junte-se à ela.

So don't go away/ Say what you say/ Say that you'll stay
Forever and a day/ In the time of my life/ 'cause I need more time
Yes, I need more time/ Just to make things right”

-x-

Yes, I need more time
Just to make things right

Emily não sabia muito bem porquê, mas ela precisava falar com Matthew, só o pensamento de Matty estar odiando-a e achando que ela era algum tipo de traidora a tinha deixado acordada mais noites do que ela gostaria naquela semana e o seu estado de muito grávida também não ajudava em nada. No máximo, todo aquele festival hormonal só piorava a sua situação.
A morena tenta ligar para Matty, e manda algumas (várias) mensagens, mas ele não respondia. Essa situação, além de deixá-la estressada, estava a deixando ansiosa também, louca por um cigarro, mas é claro que ela não podia, afinal estava com aquele parasita dentro dela, obrigando-a a ser saudável. Emi mal podia esperar para colocar aquele bebê pra fora e encher a cara. Deus, como ela sentia falta de álcool!

So don't go away”


Um comentário:

  1. Essa atualização foi rápida hein gbfxfw
    ash e cass novo ship da nação, já quero as duas juntas q
    emily é meu espirito animal <3 por algum motivo, eu adoro ela hftgddtf

    ResponderExcluir